Como passei no ICMS-SC

Galera,
nem tô acreditando q passei em SC, em 16°!! Sempre quis escrever alguma coisa nessa parte do Fórum, é uma honra. Então vamo lá!

Quem me conhece sabe q ralei muito p conseguir. Sempre estudei forçado na escola e facul. P/ se ter uma idéia de qdo falo q não estudava digo q simplesmente ñ sei qtas foram minhas repetências na facul. Acho q estão entre 20 e 25. Uma vez contei isso p amigo meu e ele me falou p ñ contar p ninguém pq queima o filme. Conto isso hj pq acho q é justamente o contrário. Com esforço dá p mudar o comportamento e atingir grandes vitórias pessoais.
Minha vida de concurseiro começou qdo um amigaço meu passou na CGU, concurso de 2004. Na época eu trabalhava como engenheiro civil aqui em BH. Não conhecia nada de concurso. Ou melhor, conhecia só o senso comum, o q para mim era mais ou menos o seguinte: quem faz concurso é pq não conseguiu destaque na iniciativa privada! (Q coisa mais equivocada isso q eu pensava!).

Bom, o fato é q esse meu colega chegou lá em casa e me disse qto ganhava. Era por volta de R$ 5.600. Isso era 4 vezes meu salário! E ele ainda era mais novo que eu uns 3 anos! Vou fazer concurso! Uhúúú! Sou inteligentão, formei na UFMG em engenharia. Vai ser moleza! Vou matricular no Orvile Carneiro, passo p esse ICMS-MG q vai sair e ano q vem vai ser só micareta! O martírio começava aí. Trabalhava de dia e à noite ia p o cursinho. Sábado dava uma revisada depois do futebol. Domingo só na micareta. Ferro completo no primeiro ICMS MG! Saiu outro edital de Fiscal de minas! Agora vai, já tô experiente! Ferro de novo!

Isso já era 2005, meio do ano mais ou menos. Pensava q estudava bem. Ledo engano. Como nunca tinha estudado na vida, achava q meu esforço e estudo eram incríveis! O choque de realidade de minha notas me fez perceber q o buraco era muito mais embaixo. Entrei em um curso p Receita Federal q estava p sair e larguei o emprego após uma conversa aqui em casa p ver se dava p segurarem minha onda por um tempo. Ferro de novo em outro concurso, dessa vez na Receita Federal, auditor e analista. Cheguei até perto no analista, uns 10, 12 pontos. Nessa época sair da minas era coisa impensável. Simplesmente sair de MG nem passava pela minha cabeça.

Acho q meu mundo era muito pequeno. O primeiro contato com o fórum dos concurseiros é dessa época. Acho q devo ter trocado pelo menos uma msg com a maioria dos fundadores. Um cara q eu me espelhava e admirava muito era o Zork. O cara respondia sobre tudo. Pensava q o cara era gênio. Mas qdo vi um Post seu logo que passou na receita de 2005 vi que era esforço puro. Ñ me lembro direito, mas o cara já tinha um cargo em 1998 e estudava p auditor da receita. Tomou pau naqueles de 2002 e 2003. Em 2005 ele passou. E eu pensando q o cara era gênio. Se isso não era o maior exemplo de esforço, simplesmente não sei o que mais poderia ser. Ser esforçado igual esse cara virou uma obsessão p mim.

Agora vai! Vamo!!!!

Foi nada... Bateu desânimo de novo. Sabe aquele gás incrível q vc tem qdo vislumbra uma saída, um cara p se espelhar e conseguir seu objetivo? Do msm jeito q vc se enche de força e ela vai embora se vc não tomar muito cuidado. Dá p estudar uma semana animado. Mas 1 ano já é bem diferente. Ñ é pq vc leu um depoimento q te tocou e se sente o mais poderoso do mundo q vc vai conseguir. Vc tem q aprender a se conhecer. Conhecer principalmente suas fraquezas. Tem gente q já nasce tão foda q nem percebe essas coisas. A pessoa já nasce com um força incrível. Sem dúvida esse não é meu caso. Hj posso dizer que tenho uma força de vontade enorme. Forte msm, de me fazer estudar de pé qdo estou com sono. Mas foi muito foda me treinar p isso.

Bem, saiu ICMS SP 2006 e estudei meio de cara virada, mal e porcamente. Preguiça de morar em SP... (mal sabia q em 2009 o ICMS SP seria meu maior sonho e minha maior decepção na minha trajetória concurseira). Entre uma ferrada e outra passei p auditor de controle interno de mg em uma prova no meio de 2006. O salário era bem baixo mas já estava a muito tempo sem trabalhar e no final das contas achei bem bom ter passado em alguma coisa. Depois q a percepção de uma coisa a coloca em um ponto próximo ao inacessível ela adquire um valor incrível. Era justamente como via esses cargos de ICMS e Receita Federal. Lia as estórias do alex e do deme e admirava os caras muito.
Trabalhava e estudava. Vivia cansado e com sono. Um namorada minha na época vivia reclamando q eu era novo mas parecia um velhinho, kkkkkkkkkk, chegava sexta e só queria dormir cedo. Acordava p estudar antes do trampo e isso me moía completamente.

Achei q se mudasse de trabalho seria mais tranquilo p estudar, então fiz um concurso de gestor aqui em mg. Veio o edital do ICMS ES. Estudei bem mas ainda não era minha hora. Rodei na discursiva por 0,05. Fiquei tão puto q nem olhei em q colocação ficaria caso ñ tivesse sido eliminado. Acho q seria em 30°, sendo q eram umas 15 vagas, ñ e lembro... Talvez hj fosse chamado já alguns dos q estavam na minha frente devem ter optado por outros fiscos. Foi estudando p esse concurso q conheci o Homem de Ferro Gabrielzaooo, hj o respeitado Gabriel Rabelo. Cara super esforçado e sem dúvida um dos q mais admiro no fórum.

Não fiquei nem 1 ano como gestor. Decidi q apesar de jurar p mim msm nunca mais ficar sem trabalhar (o período q larguei o trampo de engenheiro e não passava em nada foi traumático) largaria mais uma vez o serviço e me dedicaria de verdade aos estudos, o resto seria secundário. O ICMS ES me fez acreditar q com mais esforço conseguiria. Pedi exoneração em março de 2009 e fiquei simplesmente bitolado em passar no ICMS SP. Já se sabia q seriam muitas vagas. Era minha chance. Morando em SP daria p voltar a ter mais contato com minha irmã q nesse meio tempo se mudou p SP me fazendo morrer de saudade. Ia ser fácil vir p BH de vez em qdo p ver meus pais já q SP é cheio de aeroporto e o salário daria p pagar passagens regulares.

Fiz um programa matador. 10 hrs por dia. Preenchi o programa no decorrer dos dias mais ou menos como tinha planejado ficou até bonitão. Resultado: fracasso! Depois das anulações fiquei com 238 e o corte foi 242. Meu mundo caiu. Fiquei uns 2 meses sem estudar. Comecei a olhar emprego e largar essa vida. Os caras q tinham passado me mandando mail e perguntando como eu tinha ido. Nem respondia. (Depois fui descobrir q o q mas tem é viúva desse concurso de SP, todo lugar tem um p me contar sua decepção nesse concurso). Saiu o edital do auditor da receita 2009. Vamo fazê, claro! Sacode a poeira e começar de novo! Mas tava estudando meio no automático. Meio sem gás.

Uma ou duas semanas antes da prova surtei e não conseguia nem olhar meus livros. Vi a série Band of Brothers inteira 2 vezes na semana da prova. Resultado: 242 pts. Acabou q me surpreendi e vi q tinha ido bem. Dei o gás total p prova de analista q seria na próxima semana. Classifiquei em 500 + ou -. Saiu o edital do RIO. Meu sonho é ICMS, então comecei a estudar igual um louco. Nesse meio do caminho teve a discursiva do analista da receita. Como queria era ICMS, fui p discursiva de analista só com as matérias em comum entre analista e rio q era as q eu estudava. Em comex estudei 2 horas na sexta anterior a prova pelo bizú do ponto.

Claro q já tinha um conhecimento anterior pela primeira etapa do analista. Fiz um curso de discursiva do canal tb. Umas 3 horas, pois só vi uma aula. Acabou q passei p analista da receita na colocação 253. Fiquei feliz claro! Minha família ficou super feliz. É um cargo bacana. Mas p mim tinha a certeza de q só pararia qdo fosse auditor fiscal. Ñ sei em q ente da federação, União, Estados, DF ou M. Mas auditor.

Continuei forte p rio e aí saiu o edital de SC. Olhei o edital e já tinha estudado tudo q tinha lá. Pensei q a concorrência ia ser menor pq uma porrada de cabeção já tinha passado em SP e na Receita Federal (me enganei horrores! Nota de corte foi nas nuvens, 79%). Pensei em dar o gás completo p esse de SC. Tentar algo novo. Completamente focado até o dia da prova. Conversei c minha namorada p ver se ela ficaria comigo msm eu virando um fantasma até a prova. Ela topou e eu entrei de cabeça. (aqui escrevo um parêntese pouco mais de um ano depois de ter saído o resultado: hj vejo que talvez a coisa mais importante nisso tudo tenha sido ela. Sem sua ajuda e sua compreensão nada disso teria sido possível.

Nada disso teria sido possível sem seu amor, nem com 10.000 HBC! Sorte de quem tem uma pessoa assim ao seu lado e mais sorte ainda de quem sabe dar o valor que essa pessoa merece. Obrigado Grazi!). Não sei qtos dias foram. Não fiz programa nem contei dias pq depois do fracasso de SP fiquei puto com isso de anotar tudo, ter hora p disciplinas. Vi o q mais valia ponto estudei essas. DT, CG, CAVANÇ, Legislação. Larguei Penal, Civil. O resto foi meia boca, só revisão. Como tava estudando p rio uma parte do dia comecei a achar q não ia dar conta. E aqueles filmes de fracasso começaram a passar pela minha cabeça. Graças a Deus q não duraram quase nada.

Tava concentradaço. Só CAVANÇ e Legislação q tinham me tirado de SP me tiravam o sono. Foi aí q o Gabriel me enviou um mail contando da apostila dele e do Kazuo. Dois caras q eu boto a mão no fogo. Se os caras tão falando q o que cai é isso vou estudar só isso e nem vou olhar mais nada de CAVANÇ. (tem horas q a única saída é confiar em alguém, ñ dá p fazer tudo sozinho. Podia ter me ferrado, mas tb podia dar tudo certo. E foi isso q aconteceu. A apostila dos caras foi a prova. Li as aulas completas 1 vez. Mas percebi q melhor q ler uma segunda vez seria meio q decorar os exercícios. Não tem tempo p tudo q vc quer, então aprenda a se virar com o q vc tem, ficava dizendo isso p mim msm. Imprimi só os exercícios e ficava fazendo e refazendo. No total foram umas 4 vezes. Já tinha me ferrado em muita prova q tinha me preocupado em ler tudo mas na hora não tinha guardado nem 50%.

Dessa vez tinha q fazer alguma coisa diferente. Melhor saber quase de cor esses exercícios q estavam lá do q ficar com a ilusão q memorizaria todas aquelas resoluções. Deu tudo certo em CAVANÇ e por isso agradeço a esses caras). Faltava legislação. Era vários livros. Com esforço vc consegue lê´-los todos. Agora, levar aquelas informações todas p prova, isso é q tava e desanimando. Foi aí q conheci o Salvetti. O cara me mostrou uns resumos q ele fazia. Tipo, 100 págs de uma lei qq o cara colocava em 5, 10 pags. Ñ acreditei. Pedi p ele me ensinar. Fui pegando o jeito e fiz isso com todos os livros do ICMS. Assista a aula do Tudão na metade da tela e a lei na outra metade. O q o professor falava eu deixava, o resto era quase tudo DEL sem dó. Claro q me acostumei a ler na tela do notebook.

Não rola de fazer isso com caneta marca texto. A lei tem umas 6 linhas, apago tudo e escrevo meia linha no lugar. E assim foi. Demorou umas 15, 20 horas. Com isso minha confiança foi nas alturas. Meio q larguei o icms rio e concentrei em SC. Aqueles mínimos individuais me davam enjôo. Tudo pode ir por água abaixo nesses mínimos cabulosos. Acabou q com isso de cortar a legislação consegui lê-la completa umas 4 vezes antes da prova, sendo q 2 delas na quinta e sexta antes da prova.Escolhi ler a legislação a fazer exercícios, não fiz nenhum, nem meio. Acertei 30 das 35. Teve gente q foi melhor, mas p mim foi um salto incrível, não sabia como conseguiria ler a legislação de uma forma q fixasse seu conteúdo p a prova e acabei conseguindo ler 4 vezes! Por isso agradeço ao Salvetti.

Claro q tb contei com a sorte. Na prova de constitucional, caiu quase só TGE e CC, o q mais sei. Em mat/estatística tb foi o q eu sabia o q caiu (claro q qto mais vc estuda, mais cai o q vc sabe, mas nunca dá p saber tudo, então a sorte conta sim). Outra coisa q nunca tinha acontecido é q fiquei concentrado do momento em q meu avião decolou aqui em BH até no momento q entreguei meu último gabarito em floripa. Fiz minhas revisões o tempo todo. No caminho aeroporto/hotel, na espera de alguma fila, jantando no hotel. Devo ter sido até meio antipático com alguém, mas não tava nem conversando com ninguém. Qdo tava fazendo alguma coisa q não dava p estudar, tipo servindo o prato, ficava repetindo as fórmulas na cabeça.

Não anotei o gaba pq queria gastar cada segundo com a prova. Não entrei no fórum no mês anterior a prova p não me desestabilizar. Não entrei no ranking p ñ enlouquecer. Ainda bem q o curso do analista da receita começou e pude esperar o resultado fazendo alguma atividade. Tava no meio da sala qdo um colega q trabalhou comigo na auditoria de mg me passou uma msg: “parabéns prata, até q enfim passou num concurso bom”. Meu coração quase parou na hora. Saí da sala na hora igual um louco procurando um computador na esaf aqui de bh.

Me sinto muito vitorioso, me sinto um gigante msm, mas quem tá me vendo talvez nem note pq minha alegria é comigo msm. É uma coisa q eu queria tanto e q demorou tanto tempo.... Deu tanto trabalho, mas acima de tudo valeu a pena. Vou entrar num cargo top pela porta da frente e pronto p me dedicar à fazenda catarinense com toda força.
Método de estudo existem vários por aí. Nem quis colocar como estudei, se descansava, etc, pq acho q cada um tem seu jeito, seu tempo. Pegue um pedaço de cada coisa boa q já aprendeu com os métodos q vc conhece e crie um q se adapte a vc.

Um abraço e quem ainda não conseguiu nesse, continua firme q um dia o céu abre e vc vê um sol maravilhoso na sua frente!

Rodrigo Prata Santos